Políticos de MT lamentam a saída de Moro da Justiça

Bem Vindo , Hoje é

00:00:00

NOTÍCIAS / POLÍTICA

Políticos de MT lamentam a saída de Moro da Justiça

Diário de Cuiabá  / 

24 de Abril de 2020 as 19:29

O governador Mauro Mendes (DEM) lamentou a saída de Sérgio Moro do Ministério de Justiça.

Para o democrata, Moro vinha desempenhando um excelente trabalho à frente da pasta, utilizando, principalmente, a sua experiência como magistrado no combate à corrupção.

"Sérgio Moro foi um grande juiz, que contribuiu para o combate à corrupção no Brasil. Lamento sua saída e que ele não possa continuar contribuindo com o nosso país na condição de ministro", disse.

O ex-juiz pediu demissão do cargo na manhã desta sexta-feira (24). Ele já havia avisado que deixaria o comando do ministério, caso o presidente Jair Bolsonaro trocasse o comando da Polícia Federal, o que ocorreu na última quinta-feira (23).

Ao anunciar a sua saída do primeiro escalão da república, Moro ainda trouxe revelações bombásticas. De acordo com ele, Bolsonaro estava interessado em trocar o comandante da PF para obter acesso a informações e relatórios confidenciais de inteligência.

Representantes de Mato Grosso no Congresso Nacional também não viram com bons olhos a saída de Moro.

Líder da bancada federal, o deputado Neri Geller (PP) classificou a demissão do ex-juiz como um “desastre”.

Para ele, este fato irá atingir diretamente a economia do país.

“A maior preocupação, diante disso, é com a economia. Com dólar a R$ 5,70, é um caos total. Agora, temos que trabalhar para pacificar essa situação para que o Governo se reorganize. O presidente precisa descer do palanque e começar governar o país”, afirmou.

Recém-empossado, o senador Carlos Fávaro (PSD) também disse que ficou preocupado com a saída de Moro e defendeu que as denúncias feitas por ele sejam apuradas.

Espero que as denúncias feitas pelo ministro, durante o seu pronunciamento, não se confirmem, para que não haja retrocessos em nossa democracia. Temos que manter uma Polícia Federal independente e sólida no combate à violência e aos crimes de corrupção. É isso que nossa sociedade espera dos governantes", afirmou.

O senador Welligton Fagundes (PL) acredita que o Estado de Mato Grosso também sai perdendo com essa baixa no Palácio do Planalto, uma vez que vinham realziando ações em conjunto no combate ao crime organizado, na região de fronteira.

“Recebo com preocupação a saída de Sérgio Moro do Ministério da Justiça, pois, na condição de relator do Orçamento de Justiça e Defesa, conseguimos construir um trabalho que tem dado grandes resultados para Mato Grosso. Trata-se, portanto, de uma grande perda para nosso Estado”, disse.

Outro que também se manifestou sobre a saída de Moro do Ministério da Justiça foi o procurador-geral de Justiça de Mato Grosso, José Antônio Borges Pereira.

“Vejo com muita preocupação. Num momento em que enfrentamos uma grande pandemia, em uma semana, tivermos a demissão do ministro da Saúde, que hoje é a área mais sensível, e agora do nosso ministro da Justiça”, disse.

Para ele, o presidente Bolsonaro precisa aprender a “separar a política de Governo da política de Estado”.

“O Ministério da Justiça não pode ser contaminado por interesses pessoais ou por barreiras de grupos quanto à investigação de crimes”, afirmou o chefe do MPE/MT.

 











Comente Logo Abaixo